Rota inusitada na Europa: 7 cidades incríveis que você nunca ouviu falar

Pequena no mapa se comparada ao Brasil, a Europa é um continente enorme para o turismo, com uma grande diversidade de países, idiomas e destinos para conhecer.

A maioria dos brasileiros, no entanto, acaba se limitando às capitais e aos destinos mais conhecidos na hora de visitar o continente, o que é uma pena, uma vez que existem muitos outros lugares que valeriam uma visita.

Pensando nisso, a gente resolveu fazer um roteiro inusitado pela Europa, abordando apenas 7 cidades em 4 países. Na lista, não há uma capital sequer, toda a locomoção pode ser feita de carro ou trem e a distância final entre os lugares é 921 km.

No mapa, a rota completa quase forma um triângulo entre Alemanha, Bélgica, França e Holanda. A gente escolheu um roteiro assim para otimizar custos para a sua viagem, já que falar de uma cidadezinha na Alemanha e outra em Portugal seria bacana, é claro, mas provavelmente pesaria muito no bolso.

Rota da Cerveja na Europa: o que não dá pra perder

A ideia desse roteiro é servir como um guia flexível. Por isso indicamos os destinos, mas é você quem decide se fica mais ou menos tempo em cada cidade.

Holanda


Zaandam

vista de uma rua típica de zandaam com casas cerdes em estilo holandês

Zaandam é uma cidade bem simpática na Holanda. Além de ter uns prédios com um design bem arrojado próximos da estação de trem, o centrinho da cidade mescla a arquitetura típica holandesa com lojas e restaurantes modernos.

A principal atracão da cidade, no entanto, são os famosos moinhos de vento que ficam na vila de Zaanse Schans, que é considerado um museu a céu aberto. Passear por lá é como comprar um Combo Holanda, você vai ter um pouquinho de cada coisa que o país oferece num lugar só: moinhos, queijo, sapatinhos de madeira, casas típicas, etc.

O que você não pode perder: passear algumas horas no Zaanse Schans.

Nijmegen 

Prédio com arquitetura tradicional preservada nijmegen holanda

Nijmegen é a cidade mais antiga da Holanda, com mais de 2.000 anos de existência. Com tantos anos desde sua fundação, você já deve ter imaginado que a cidade é rica em história. Certo? Certo. A cidade surgiu de um acampamento romano, já que a área tinha importância estratégica para os exércitos naquela época. Na Segunda Guerra, acabou ocupada e bombardeada.

A cidade sempre soube compreender a importância de mudanças e construções para evoluir, derrubando suas fortificações para permitir a expansão geográfica da cidade e também alargando suas ruas para permitir o trânsito de automóveis.

O que você não pode perder: conhecer o centro histórico e visitar o Valkhof Museum.

Saiba mais sobre a cidade clicando na imagem abaixo:

nijmegen desenho mostra a cidade

Alemanha


Kettwig

Casas antigas de Kettwig, na Alemanha

Kettwig é um bairro da cidade de Essen, mas é um pouco afastado do centro e funciona como se quase fosse uma cidade por si só. Essen é conhecida por ser a cidade das compras, mas Kettwig é quem deveria chamar a atenção de quem vem de fora, por conta de suas construções em estilo antigo, com telhas acinzentadas que descem até o chão.

A Altstadt de lá é como se fosse uma miniatura daquelas que você vê em shopping, cheia de ruelas e casas branquinhas, com o pavimento feito em pedras.

O que você não pode perder: Cidade Antiga de Kettwig

Koblenz

O Deutsches Eck, visto do outro lado do rio.

Koblenz é uma cidade desconhecida até mesmo dos alemães que não vivem no noroeste do país. Mesmo sem ser tão popular para o turismo, a cidade possui diversas atracões que encantam. Primeiro, é lá que os rios Mosel e Reno se encontram, o que deu origem ao Deutches Eck, que é um monumento nacional erguido bem “na esquina” entre os dois rios.

Além disso, Koblenz também é dona de um forte que fica do outro lado do rio e proporciona uma bela vista da cidade em um passeio muito bonito de teleférico. A região conta com vinhos excelentes, o que faz da vida gastronômica da cidade algo interessante também.

O que você não pode perder: Deutsches Eck, Festung Ehrenbreitstein, Kufürstliches Schloss (Castelo).

Saiba mais sobre Koblenz neste post

Aachen 

Catedral de Aachen, vista da prefeitura.

Aachen era comandada por Carlos Magno, que nomeou a cidade a capital do Sacro Império Romano-Germânico. Ou seja: era um importante eixo comercial no Século IX. Por conta disso, sua prefeitura mais parece um palácio, pois era ali que aconteciam os principais acordos comerciais da Europa na época.

Como capital do reinado, a catedral da cidade não poderia ser menos imponente e é hoje um patrimônio da UNESCO. Mas não são só de prédios históricos que são feitos os atrativos turísticos da cidade. Aachen faz parte da tríplice fronteira entre Alemanha, Bélgica e Holanda e ainda possui uma fábrica de chocolates da Lindt.

O que você não pode perder: Centro histórico (prefeitura, catedral), Fronteira e Fábrica de Chocolates.

Saiba mais sobre Aachen neste post

França 


Lille 

citadelle de lille. entrada sobre uma ponte de pedras para um dos prédios militares

Lille é uma cidade universitária que ferve durante a noite. Como é uma cidade relativamente pequena, é fácil transitar a pé. No centro histórico, há cervejarias e bares lotados a noite toda. Vale a pena experimentar as diversas marcas de cerveja locais e escutar uma boa música no Le Lobby Bar.

Outro atrativo da cidade é uma antiga instalação militar em forma de pentágono, que hoje serve como um grande e movimentado parque da cidade (os prédios ainda pertencem ao exército). A Citadelle foi erguida entre os anos 1667 e 1670 e impressiona pelo seu tamanho.

O que você não pode perder: vida noturna na cidade antiga e Citadelle.

Bélgica


Bruges 

 

No quesito aparência, Bruges se assemelha um pouco com Amsterdã, por ser cercada de canais. Assim como a capital holandesa, a meiga cidade belga tem barquinhos que andam pra lá e pra cá e fazem parte de uma das formas de locomoção de algumas pessoas.

As comparações param por aí. Bruges é toda ladrilhada e inspira o clima de romance, tanto no inverno como no verão. No inverno, o branco da neve nos parques e nas ruelas trazem um ar de novidade, enquanto que no verão as flores e o verde dos parques são a combinação perfeita para um pique-nique a dois.

O que você não pode perder: centro histórico (patrimônio da UNESCO), Catedral de São Salvador, The Beer Wall.

Saiba mais sobre Bruges neste post

Você já esteve em alguma dessas cidades? Conta pra gente!

E mais:

167 COMENTÁRIOS

  1. Eu gostaria de ver em sua lista algumas cidades da Eslováquia, como Kosice e Zilina, além de Bratislava, capital do País. Da mesma forma, todos ignoram as cidadezinhas da República Tcheca, como Karlovy Vary e todo o sul da região. Fica a dica; vale a pena e gasta-se menos do que na Bélgica e Holanda. De todo modo, parabéns pelo blog.

    • Obrigado pelas dicas, Maura! Realmente, ainda estamos devendo no Leste Europeu. Ainda não estivemos na Eslováquia e, na República Tcheca, só passamos por Praga. Com certeza, esses países também têm cidades muito bonitas. Quem sabe ano que vem!

  2. Muito legal esse artigo, estive em Bruges e Zaandam. Eu adoro a paz que essas pequenas cidades européias oferecem

  3. Não da para esquecer o leste europeu…. uma que certamente é desconhecida e belissima… é Cesk Krunlov…

  4. Deixo como recomendação os Países Bálticos, Estônia, Letônia e Lituânia. São países pequenos da antiga URRS, cujas capitais, respectivamente, são muito charmosas: Stalin, Riga e Vilnius. Cada uma, com diferentes características. Vale a pena.
    Tânia M Heinrich

    • Deixo como recomendação os Países Bálticos, Estônia, Letônia e Lituânia. São países pequenos da antiga URSS, cujas capitais, respectivamente, são muito charmosas: Tallin, Riga e Vilnius. Cada uma, com diferentes características. Vale a pena.
      Tânia M Heinrich

  5. Eu acrescentaria Hallstatt e Bad Isch ambas na Austria, pequenas e indescritíveis, além de maravilhosas….o mirante de Hallstatt é algo que os nossos olhos e a nossa mente jamais esquecerão

  6. Pertinho de Colmar e Strasburg tem aquelas cidadezinhas da Alsacia: Riqueville e outras pequeninas e muito parecidas

  7. Innsbruck é minha preferida também, mas Strasburg e Colmar no sul da França foi a cidadizinha surpresa esse ano, encantadora.

  8. Olá, como sugestão colocaria na sua ótima lista Lund Sul da suecia, uma cidade charmosa e agradável. Parabéns pela lista!

  9. Não só ouvi falar como conheço três delas que não são tão desconhecidas assim Lille e Bruges são famosas. Zaandam faz parte de passeios de barco da holanda

  10. Ótima matéria. Eu acrescentaria Innsbruck na Áustria, não é tão desconhecida assim porque ela já sediou até Olimpiadas de Inverno, mas é pequenininha é muito lúdica. Sobre Koblenz ser desconhecida, discordo, talvez seja para habitantes fora da Europa. Koblenz sempre foi um posto importante desde a época dos Romanos e a cidade tem até músicas pop em sua referência. A cidade é linda demais e o povo é muito simpático.

      • Mainz é tipo Koblenz na margem do Reno. O centro histórico é lindo e tem o Guthemberg Museum, aquele da imprensa era de lá. Landesmuseum e a cidade muito bonita.
        Lucerna é toda linda. O passeio de barco pelo lago com os Alpes ao fundo é de chorar. Vale a hospedagem em qualquer um dos vilarejos onde o barco para. Depois o passeio no trem panorâmico até Interlaken. Eu fui a Jungfraujogh mas o tempo não ajudou. Suíça é outro mundo. Amei Berna.

        • É mesmo outro mundo, Marcus. Infelizmente conhecemos muito pouco da Suíça, mas se tudo der certo logo vamos passear muito por lá 🙂
          Obrigado pelo comentário e pelas dicas, já anotei Mainz por aqui.

  11. Conheci Koblens e Bruges em minha primeira viagem à Europa em 1992. São cidades lindas e cheias de charme! Lille fui à cerca de quatro anos numa viagem ao sul da França. Linda, aos domingos às lojas expõem suas peças nas ruas. Valem super à pena serem visitaras.

    • Acrescento Madurodaan, tem um parque temático muito interessante. Lá vc encontra todos os pontos turísticos da Holanda em miniatura. Recomendo.

  12. Eu acrescentaria Orebro, na Suécia, com um castelo de 700 anos no centro, um rio que corta a cidade que é bonita em qualquer estação.

  13. Amamos tanto Brugge, que apenas um ano depois estamos voltando. Dessa vez Lille está no roteiro, como outras cidades do norte francês e da Bélgica.

  14. Eu adicionaria Bregenz, na Áustria. Tem uma das vista mais incríveis que eu já vi. Ótimo post!
    Tenho uma amiga cuja tataravó era princesa de Lille, por isso conheço de nome 🙂 o restante certamente incluirei nas próximas viagens!

  15. Passei dois dias em Brugges, que é belíssima. Aproveitei e fui a Ghent, cidade vizinha, que também é muito bela.

  16. Aí vai uma dica, Bled,Postojma e Portoröz!
    Todos na Eslovênia um fim de semana dá pra conhecer bastante!

  17. Olá!
    Conheci Bruges! Encantadora, com arquitetura fantástica! O passeio de charrete é imperdível! A cada espaço de tempo, o condutor pára, alimenta o cavalo, oferece água gentilmente e o afaga!
    É uma cidadezinha simpática, agradável e romântica!

  18. Bruges Eh belíssima! Da pra fazer bate e volta por Paris, passa o dia lá e volta no trem início da noite. Eh super rápido!
    Vale a pena incluir Annecy, na França, o lago Eh um espetáculo à parte!

  19. Daniel, eu adoro cidadezinhas medievais. Aqui vai minha lista das mais fotogênicas que visitei nessa região. // FRANÇA: Honfleur lá no norte, é um portinho perto de Rouen (também muito legal)/ Sarlat lá Canéda, fica na Dordonha, numa região linda que tem aquelas cavernas com pinturas rupestres, castelos, rios, jardins e outras vilas charmosas perto./ Strasburg e Colmar também são legais. ALEMANHA: fiz a rota romântica até Fussen, mas a mais linda é Rothenburg ob den Tauber / Lindau, é uma micro ilha no lago Konstanz. / INGLATERRA: indo para Londres resolvi dormir em Dover para conhecer o castelo e de lá fui de ônibus passar o dia em Rye, um portinho ao sul cheio de história.

  20. Muito bacanas as dicas. Na Alemanha, além de Koblenz estive em Ulm e Heidelberg, recomendo tanto pelos passeios e a vista como pela comida!

  21. Uma boa forma de conhecer as cidades da Bélgica , é ficar hospedado em Bruxelas, e ir de trem a Bruges, Gante e Antuérpia. Fiz esse trajeto em Maio do ano passado passado, e foi muito bom, pois é rápido e barato, sobrando tempo suficiente para conhecer as cidades com tranquilidade. Recomendo todas, com muita história e charme.

  22. Obrigado pela lista. Já estive em várias destas cidades e achei o trajeto proposto bastante interessante. Mas é importante frisar que não vale a pena ficar em nenhuma destas cidade (exceto Bruges, talvez) por mais de um dia – em alguns casos, uma manhã -, a não ser que o objetivo do viajante seja fazer ecoturismo ou algo semelhante. Isso porque estas cidades são relativamente pequenas e não têm muito a oferecer, além de uma ou duas praças ou vistas deslumbrantes que fazem a viagem de ida e volta, no mesmo dia, de uma cidade grande valer a pena. E mais uma observação: não é verdade que Koblenz seja desconhecida da maioria dos alemães. Trata-se de uma cidade bastante grande para os padrões alemães (mais de 100.000 habitantes) e historicamente importantíssima, além de ser a principal atração da popularíssima rota do passeio turístico de navio pelo rio Reno (uma das cinco atrações turísticas mais populares da Alemanha). Assim, provavelmente todos os alemães (ou 99,5%) já ao menos ouviram falar de Koblenz.

    • Bruges merece dois dias. Pelo menos no verão. Tempo para visitar igrejas e prédios,passear de barco, comer waffles, tomar cerveja vendo o povo passar… Já fui 2 vezes e iria outra vez.

  23. Quedlinburg, Bacharach e Rothenburg ob der Tauber, três cidades alemãs que poderiam estar nesse bom roteiro.

  24. Conheci Brugges em 1 dia..estava em Paris e o pessoal do hotel nao recomendou Lille..pelo contrario…disseram q apesar de ser mais proxima q Brugges..n valia a pena…cidade ruim..pense agora o meu arrependimento? Valeu pelas suas dicas.Amei

      • Mais espetacular do que Brugges e Lille e quase jamais mencionada em websites no Brasil é a cidade de GENT.
        Gent é a mais linda cidade belga.
        Igualmente com os seus pequenos canais – tal como Brugges – Gent (GAND em francês), é muita mais viva, é uma cidade tipicamente universitária mas, ao mesmo tempo, muito importante economicamente por conta do porto que possui.
        Entre Bruxelas e Brugges, no mesmo ramal ferroviário, fica a dica imperdivel para a próxima viagem à Bélgica!

      • Estarei em Bruxelas entre 26 Jun a 01 julho. Sei q é verão, mas estará frio ? Penso em ir no dia 27 a Amsterdam é voltar fim da tarde. No outro dia quero ir a Luxemburgo e voltar fim tarde. Dia 29 ir cidade mais próxima da Alemanha e voltar fim tarde. E os outros dias curtir Bruxelas e agora brugges. Concorda ? Acha q vou aguentar fazer este ida e volta todo dia ? Aconselha isto ? Tb vou descer e partir de charleroi. É ruim ? Tenho pouca grana e pouco tempo. Já comprei estada no hotel em Bruxelas. Obrigado.

        • Que viagem, Sergio! Bom, vamos pelo começo:
          Frio ou calor? Não dá pra cravar certinho, aquela é uma região que venta muito e é fácil de virar o tempo.
          Bate-voltas
          Acho que o melhor seria evitar fazer bate-volta todo dia, porque com possíveis atrasos no transporte e tal, você pode acabar ficando muito cansado e não aproveitando.
          Os lugares que você vai visitar não são exatamente os mais em conta para visitar, mas um pouco afastado do centro, pode acabar conseguindo acomodações bem em conta. Em Luxemburgo, por exemplo, próximo da estacão central há hotéis e hostels mais em conta do que nas áreas mais turísticas da cidade. Boa viagem! Abs

    • Lille também achei que não vale a pena. Bruges vale muito a pena. Mas o roteiro de Bruxelas tem que incluir Lille, Bruges Gent Antuérpia e Luxemburgo. Mas fora chocolate e cerveja a comida é ruim.

  25. Lembrar que na catedral de Bruges tem um Madonna de Michelângelo, a única fora da Itália pelo que dizem. Na Holanda vale ir até Giethoorn, onde se circula de barco.

  26. Estive em ZANNDAN e Bruges e me senti dentro de um livro infantil que ao fechar me senti num lindo cartão postal. Os patos soltos no solo verde Q cerca os moinhos e os castelos medievais de Bruges, a arquitetura muito conservada…. Um sonho vivido.

  27. As dicas são boas, mas longe de serem cidades de que o público em geral nunca tenha ouvido falar. Brugges é muito conhecida, tem até filme rodado lá. Aachen é onde está o túmulo do Carlos Magno, e Koblenz faz parte do roteiro de barco, bem conhecido, pelo Reno.

  28. Olá
    Gostaria de saber qual a melhor maneira para ir de Berlim até Warnemunder de onde partem os cruzeiros no Mar Báltico.
    Depois, desta cidade até Praga.
    Obrigado

    • Oi, Jacques. Tudo bem? Warnemünde é como se fosse um bairro de Rostock. A melhor maneira de chegar lá é pegar um trem na estacão central de Berlim (Berlin Hbf) e parar em Rostock Hbf. Lá, existe um metrô rápido (S-Bahn) que liga você até Warnemünde Werft. É o S3 e leva em torno de 20 minutos para chegar lá.
      Pra ir de Rostock até Praga, quase todas as conexões passam por Berlim (algumas fazem Rostock – Büchen – Büchen – Praga). O problema é que o tempo de espera entre uma conexão e outra é grande e a viagem toda pode acabar levando 8 horas na melhor das hipóteses. Se eu puder dar um pitaco, minha sugestão seria que você parasse em Berlim na volta e ficasse um ou dois dias por lá antes de ir pra Praga =)

  29. A mais bela na minha opinião é Brugges..tive oportunidade de conhece-la muito bem no inverno e no verão…e tem praticamente três anos que a visito..Não canso de achar novidades e belezas. A Basílica do Sangue Sagrado é linda ….Uma cidade ímpar, encantadora com muita história para contar. E não podemos deixar a culinária de lado….Moules e batatas ….chocolates…waffles (gofres)..são de babar…

    Agora Daniel eu incluiria Strasbourg na região da Alsácia ..Também lindissíma….

  30. Olá. Sugestão para parar de maltratar o português : 7 cidades que vc nunca ouviu falar está errado. O certo seria 7 cidades de que (ou das quais) vc nunca ouviu falar.

    • Olá, V. Tudo bem? Obrigado pelo seu comentário… Tentamos deixar o título o mais coloquial possível. De nenhuma maneira tivemos a intenção de judiar do nosso idioma belo idioma. Foi mal se causamos alguma má impressão =)

  31. Conheci Bruges e Aachen. Esta ultima transpira Carlos Magno. Tem atė o seu trono! Os franceses chamam-na de Axe la Chapelle.

  32. Visitei Zaandam – Holanda e Bruges – Bélgica. São encantadores e de fácil acesso. Vale muitíssimo conhecer! São paisagens inesquecíveis.

  33. Adorei sua sugestão….Dessas cidades citadas por você só conheço Bruges,onde estive por duas vezes…Como fazer para seguir esse roteiro? Através de uma agência de turismo?Desde já agradeço as possíveis informações.

    • Olá, Ana Maria! Obrigado pelo comentário! Então, o conselho que eu daria seria mesmo alugar carro, porque, como as cidades são pequenas, dificilmente existiriam conexões de trem diretas ou semi-diretas para estes destinos, e levaria muito tempo para que você percorresse tais distâncias. Com um carro seria muito mais rápido. Sobre agências de viagem, não conheço nenhuma que faça este trajeto específico.

      • Olá sou agente de viagens e recomendo aluguel de carro…São cidades próximas de fácil acesso e lindas à noite. Então vale a pena pernoitar…Tem algumas agências e operadoras que podem fazer os pacotes, mas a grande maioria sem pernoite….Viajar é desfrutar o máximo possível pois nunca sabemos quando poderemos retornar…..

  34. Adorei o roteiro! Moro na Holanda e adoro descobrir essas cidades maravilhosas que ninguém conhece. Minha última descoberta foi Dijon, recomendo!

  35. Parece bem interessante, dessas cidades só conheço Bruges que uma cidade muito charmosa, fantástica, ótima para comprar chocolate e comer uma Carbonara Flamenca , hummm! encantadora cidade Belga!

  36. Estive em Bruges e Lille em 2013, Realmente são maravilhosas! Mas a minha sugestão de cidades muito, mas muito charmosas, lindinhas e acolhedoras estão na Eslovênia, um pequeno país que vale demais a pena ser descoberto!

  37. Reginaldo Morars, provávelmente esse instrumento que você ouviu se chama Cor des Alpes, Alpenhorn em alemão.

    • Oi, Vanessa. Tudo bem? Bruges já é bem conhecida mesmo, mas a Bélgica, de maneira geral, é um pouco fora da rota da maioria dos brasileiros que vem para Europa pela primeira ou segunda vez. Mas, realmente, tem muitos brasileiros por lá. 🙂

  38. Muito bacana esse post, eu também adoro sair do roteiro das cidades turísticas e procurar essas pequenas e charmosas cidades que ainda estão longe dos olhos dos turistas.

    Também tenho um blog, Passaporte com Pimenta, lá eu conto sobre algumas dessas cidades da Espanha e da França 😉

  39. Daniel, adorei!! Com certeza são sugestões para colocar na agenda e planejar viagem. Mas, posso dizer? Vc foi injusto com Antuérpia, na Bélgica.
    Promete pra gente que você vai falar um dia sobre essa cidade charmosíssima? Eu queria saber de você sobre os preços e roteiros. 🙂
    Beijos e parabéns!!

    • Oi, Sirlene! Tudo bem? Que bom que gostou das dicas!
      Ok, prometo! Ano que vem vamos programar uma viagem para Antuérpia e vamos contar tudo aqui! =D
      Obrigado pela mensagem!
      Preços e roteiros de quais lugares você gostaria de saber?

  40. Oi Daniel. Post interessante mas que inicia com um erro grave: “Pequena no mapa se comparada ao Brasil”… Na verdade a Europa tem 10,2 milhões de km2 e o Brasil tem apenas 8,5 milhoes. Em termos de população a Europa tem 738 milhões de habitantes contra 206 milhões no Brasil. Maior do que parece, não? Deve ser da facilidade de deslocação…Fica a dica. Abraços e boas viagens!

    • Oi, Fernando. Tudo bem? Obrigado pelo seu comentário.
      Na verdade, a comparação em relação ao tamanho da Europa era estritamente geográfica e compara o tamanho do continente europeu (sem a Rússia) com o Brasil. A ideia não era comparar em termos de população. Pedimos desculpas se não tinha ficado claro. Abraço

  41. Acabei de colocar Kettwig no roteiro! Estarei por lá em janeiro, em Düsseldorf 🙂
    E Bruges, não pode esquecer de mencionar o maravilhoso festival de cerveja, BruggsBier, no primeiro fim de semana de fevereiro. Mais de 300 tipos diferentes de cerveja. Delicia demais!

  42. Adorei as dicas! Bruges eu já conheço, é uma cidade apaixonante, super recomendo!! Lili conheço mtos estudantes que moraram lá e adoraram também.
    As outras já coloquei na lista 🙂

  43. Conheci Koblenz numa viagem de Frankfurt a Amsterdam de trem. Cidade acolhedora e de paisagens maravilhosas. O passeio de teleférico é imperdivel. Ver os tetos gramados na fortaleza também. Aos domingos tem uma demonstração de música regional onde quatro músicos sopram uma espécie de cachimbo que vai até o chão. Um som único.

  44. Adorei as dicas. De todas as cidades citadas, somente Bruges já estava em minha lista para visitar. Mas, como eu e Gu adoramos cidades que fogem do tradicional por assim dizer hehehehe com certeza vamos adorar explorar essas cidades também 🙂

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui