Tudo o que você precisa saber antes de viajar para a Alemanha

Por Tatiana Olegario

Tatiana Olegario é jornalista e apaixonada por viagens. Em 2011, largou tudo no Brasil, foi realizar o sonho de conhecer um pouco mais do mundo e acabou na Alemanha. Por lá, descobriu que viajar pode ser muito mais simples, barato e desafiador do que pensava. Foi aí que nasceu o Viagem 0800.

No último ano da faculdade, nós decidimos que, após a formatura, queríamos passar um período no exterior, aprendendo uma nova língua e fazendo algum tipo de especialização profissional. A Alemanha surgiu meio que sem querer e o que era pra ser uma aventura de 1 ano… acabou se tornando a nossa casa desde 2011.

A Alemanha é um país muito interessante, cheio de lugares incríveis, muita cultura e cerveja excelente – tem até um safari da cerveja por aqui! Mas antes de embarcar em uma viagem para a Terra do Chucrute, existem alguns fatos e curiosidades que vão te ajudar a ter uma viagem ainda melhor! Por isso, preparamos essa lista com tudo o que você precisa saber para viajar para a Alemanha.

1. Você não precisa de visto para a Alemanha

passaporte brasileiro no mapa

Todos os brasileiros que querem viajar a turismo para a Alemanha não precisam pedir um visto, desde que permaneçam por, no máximo, 90 dias a cada 6 meses.

Para garantir que você não vai passar nenhum perrengue ao entrar no país, você vai precisar de:

  • Passaporte válido por, pelo menos, 3 meses depois do seu retorno ao Brasil
  • Passagem de ida e volta
  • Seguro de saúde
  • Reserva de hotéis – ou carta convite, caso você venha para ficar na casa de algum amigo ou familiar
  • Comprovação de recursos financeiros suficientes para se manter no país

É claro que você vai ler e ouvir por aí pessoas contando que não precisaram disso ou daquilo para entrar em algum dos países do Acordo Schengen. Mas, como você é uma pessoa esperta e não quer correr o risco de jogar todo o planejamento da sua viagem no lixo… você vai viajar com todos esses documentos na sua mala de mão, certo?! 🙂

2. Tenha sempre dinheiro em mãos

O que saber Alemanha - dinheiro em papel

Acho que esse é um dos pontos que mais nos causou estranhamento. Em pleno século 21 e pra desespero de nós, brasileiros, que pagamos com cartão até na barraquinha de cachorro quente, muita coisa aqui ainda só funciona na base do dinheiro em papel.

E a situação é ainda pior pra quem pretende pagar com cartão de crédito. Muitos bares, restaurantes e algumas lojas, simplesmente, não aceitam essa forma de pagamento. Muitos lugares só aceitam o cartão de débito, desde que este seja alemão ou de outro país europeu – mas não sem alguns olhares de reprovação.

Atualização – Desde 2020, com toda a situação causada pela pandemia do COVID-19, muitos lugares passaram a aceitar de forma mais pacífica o pagamento por cartão de débito ou a remover o limite mínimo de gasto para que o cartão fosse aceito. Mas, ainda assim, o crédito ainda é uma barreira.

3. Muitas pessoas falam inglês

Se você está planejando uma viagem pela Alemanha e fala pelo menos um pouco de inglês, não vai ter muitos problemas para se comunicar. Apesar de não ser nada comparável a Holanda ou Islândia, muitas pessoas por aqui falam inglês, especialmente em lugares mais turísticos. Além disso, alguns alemães aprenderam um pouco de espanhol na escola… então, você pode dar uma arranhada no espanholito e ainda ser entendido por aqui.

Mas se você não fala nenhuma língua além do nosso belíssimo português… não se desespere! Confira aqui algumas dicas para viajar para o exterior só falando português!

4. Use o transporte coletivo

Metro em Berlim. Ubahn

O transporte coletivo na Alemanha é muito bom. É claro que existe um atraso aqui, um cancelamento ali… mas, no geral, você pode ir a qualquer lugar a (quase) qualquer hora do dia e da noite sem ter a necessidade de um carro. Isso vale principalmente para as cidades maiores, mas mesmo quando nós morávamos em Kleve – uma cidadezinha de 52 mil habitantes -, existia a opção de taxi-ônibus para o horário de menos movimento.

Na base da confiança

Outra coisa que nos surpreendeu foi que tanto dentro das cidades, como para quem vai viajar de trem, não há nenhum tipo de catraca ou controle permanente. Você compra o seu ticket e entra no metrô, trem ou bonde sem precisar mostrar nenhum comprovante a ninguém. Nos ônibus, as pessoas costumam mostrar o ticket para o motorista quando entram pela porta principal, mas, normalmente, o condutor não está muito preocupado e nem confere os detalhes.

Com uma certa frequência, alguns ficais entram nos transportes e pedem a passagem para todos os passageiros. Quem estiver sem um ticket válido tem que pagar uma multa nada agradável.

Valide o seu ticket

A maioria dos tickets que você compra nas máquinas automáticas precisa ser validado. Normalmente, ao entrar no metrô, bonde ou ônibus, você vai ver uma caixinha para “estampar” o seu bilhete.

Se você usar o trem intercidades (S-bahn), essa caixa para validação fica, geralmente, na plataforma. Então, você precisa validar antes de embarcar no trem.

É muito importante ficar atento a isso, confira como funciona na cidade que você vai visitar, para não correr riscos. Mesmo se você tiver um bilhete em mãos, você será multado caso ele não esteja validado – afinal, a pessoa poderia usar esse mesmo ticket para fazer diversos trajetos.

As passagens compradas nas máquinas dentro do transporte coletivo, normalmente, já estão validadas.

Bilhetes especiais

Se você for passar mais dias em uma determinada cidade ou se estiver passeando com mais pessoas, é sempre bom conferir as opções de ticket especiais.

Por exemplo, sempre que o Dani e eu saímos juntos de transporte coletivo aqui em Dusseldorf, compramos um bilhete diário para duas pessoas. A passagem custa um pouquinho mais do que 10€, o que fica mais barato do que os quase 3€ que teríamos que pagar por pessoa para cada trecho. Esse mesmo bilhete para 5 pessoas sai um pouquinho mais que 21€ – cerca de 4,5€ por dia por pessoa.

Aperte o botão

Como muito bem lembrado pelo leitor Thiago nos comentários, nem sempre as portas do metrô, trem ou bonde abrem automaticamente. Isso é ótimo pra evitar que a porta fique abrindo sem necessidade em pleno inverno, mas pode ser horrível se você não sabe que precisa apertar para entrar.

Normalmente, é um botão – que muitas vezes piscas -, mas também pode ser tipo uma maçaneta. Mas a regra é simples: se o trem parou na sua frente e a porta não abriu sozinha, sai apertando tudo até conseguir entrar! 😛

5. Carro x Trem x Ônibus – como viajar dentro da Alemanha

Autobahn - Alemanha

Caso você queira ter a experiência de viajar pelas Autobahns – as estradas que muitas vezes não possuem limite de velocidade -, vale a pena alugar um carro para fazer o trajeto entre cidades, mas usar o transporte coletivo quando for explorar o lugar.

Dentro da cidade, muito provavelmente, você vai ter algum tipo de problema para encontrar uma vaga ou vai sofrer com os preços salgados dos estacionamentos e da gasolina.

Se você está planejando viajar entre uma cidade e outra a maneira mais barata, na maioria das vezes, é o ônibus. Porém, a maneira mais rápida e prática, muitas vezes, é o trem. Se você for viajar muito por aqui ou for incluir outros países na viagem… uma boa ideia é procurar pelo Eurail.

6. Pfand – o casco levado a sério

Foto: Viagem 0800Quem anda pelas ruas na Alemanha dificilmente encontra garrafas pelas ruas ou no lixo. É que, por aqui, a maioria das garrafas de plástico e vidro possuem um depósito, que é chamado de Pfand. 

Sempre que você compra alguma dessas garrafas no mercado, padaria ou lojinha… paga um pequeno valor pelo “casco”, como muitas pessoas costumam chamar no Brasil. No geral, o depósito de uma garrafa de plástico normal custa 0,25€, uma de plástico duro e que será reutilizada 0,15€, enquanto que a garrafa de vidro “vale” 0,08€. Mas esse valor não está incluído no preço que você vê nas prateleiras. Por isso, não se espante caso a conta dê alguns centavos a mais… e também não ache que você vai ficar rico devolvendo as garrafas de água de custam 0,19€ e você “vende” por 0,25€, como fizeram dois amigos nossos logo que se mudaram pra cá.

O ideal é guardar as garrafas e devolvê-las em uma das máquinas super práticas que você encontra em todos os mercados. Além disso, na teoria, todo lugar que cobra pela “Pfand” tem que aceitar o casco e devolver o dinheiro pra você. É o bom e velho conceito do retornável… só que muito mais tecnológico e eficiente.

Mas se você não quiser ficar andando por aí com a mala cheia de garrafas… tudo bem! Isso é até uma prática comum por turistas e alguns alemães. Existem algumas pessoas que juntam essas garrafas para conseguir algum dinheiro, por isso, não jogue elas no lixo. Coloque na borda do lixeiro ou mesmo no chão próximo a ele… garanto que não vai ficar lá por muito tempo!

7. Faixa de bicicleta – tem que respeitar

Faixa de bicicletasA bicicleta é um importante meio de transporte por aqui. Por isso, na maioria das vezes, elas têm uma área reservada nas calçadas ou ruas. Então, se você estiver andando em uma faixa meio vermelha e ouvir uma buzinada de bicicleta… é hora de sair da frente. E se você estiver fazendo um passeio com a magrela, não ande na parte destinada aos pedestres. Tudo isso é levado muito a sério por aqui e não tem essa história de “sou turista”… todo mundo tem que respeitar as regras. Especialmente porque quando acontece um acidente, se uma das partes não está na faixa correta (seja pedestre ou ciclista)… essa pessoa é responsável pelo acontecido e tem que arcar com todos os custos.

Em resumo, a vida de ciclista é muito boa por essas bandas. Os carros respeitam a distância de segurança e temos até mesmo nossos próprios sinaleiros (ou farol – se você for paulista!).

Além disso, quase tudo por aqui é considerado meio de transporte… por isso não se assuste se você ver pessoas em roupas sociais andando de patinete para ir ao trabalho ou um pai andando de skate e empurrando um carrinho de bebê.

E se você quiser experimentar a cidade como muitos locais, você tem a possibilidade de alugar uma bicicleta para chamar de sua. Além dos alugueis convencionais por período, você encontra em todo lugar, bicicletas e patinetes elétricos que são alugados por minuto.

8. Pare sempre no sinal vermelho

Ampelmann

Nunca passe no sinal vermelho! Essa regra é muito respeitada por aqui… até mesmo pelos pedestres.

Isso significa que mesmo que nenhum carro esteja por perto, mesmo que você tenha certeza que consegue atravessar a rua em segurança… você precisa esperar que o bonequinho fique verde para passar.

Mas nem tudo se resume a bons modos e respeito pelo Ampelmann – como o bonequinho é chamado por aqui. Se você for pego passando no sinal fechado, recebe uma multa que varia desde 5€ para pedestres até 360€, se você estiver de carro. Quem passa no sinal vermelho de bicicleta pode pagar entre 60€ e 100€.

E isso não é história pra boi dormir… eu mesma conheço ciclistas que tiveram que desembolsar essa grana por não conseguirem esperar alguns segundinhos.

9. Moedinhas para o banheiro público

moedas no prato

Imagine a situação, você está numa cidade alemã provando as mais diferentes e deliciosas cervejas germânicas. Toma uma, toma outra… e a bexiga aperta! Hora de esvaziar o tanque. Você vai ao banheiro, volta e continua a beber… muito simples, não?
Pois não é bem assim na Alemanha.

Na maior parte dos bares e restaurantes, você vai encontrar algumas pessoas tomando conta do banheiro, para garantir que ele esteja nos conformes.

Isso é muito legal, porque o banheiro tem grandes chances de estar limpinho (digo grandes chances, porque né?). Mas é chato porque você se sente na obrigação de deixar algumas moedas, mesmo que você esteja consumindo no lugar ou tenha pago uma entrada – como no caso de uma sessão de cinema. Em alguns estabelecimentos, existe um valor definido que está informado na entrada do banheiro, normalmente é algo como 30 ou 50 centavos de Euro. Em outros, você dá o que tiver na hora…

Isso também acontece em atrações turísticas e estações de trem. Mas nesses você tem que colocar a moeda para passar pela catraca e, normalmente, os preços são algo como 1€ ou 2€. Sempre preste atenção para ver se a máquina dá troco ou não, senão você pode acabar pagando ainda mais.

Levando isso em consideração, separe sempre algumas moedinhas para deixar pelos banheiros da vida.

10. Água com gás – e da torneira  

água da torneira

Os  alemães têm algum tipo de paixão com as bolhinhas. A grande maioria deles bebe água com gás, suco de maçã com gás (o famoso Apfelschorle), e por aí vai… Esse costume é tão comum que se você não especificar que quer uma água natural quando fizer o pedido em bares e restaurantes, você vai acabar recebendo água com gás.

Mas quando você estiver no seu hotel, não se preocupe…. Você pode facilmente se servir com a água da torneira! Se não tiver nenhum aviso especial informando, significa que a água é potável! Mesmo assim, você não vai receber gratuitamente uma garrafa de água nos estabelecimentos, como é comum em países como os Estados Unidos ou Islândia.

11. Pontualidade germânica

A pontualidade é outro assunto sério por aqui. Os alemães apreciam a pontualidade – tanto que, às vezes, se esforçam para chegar antes e evitar qualquer imprevisto.

Se você estiver reservando passeios, restaurantes ou passagens, é bom levar isso em consideração. Atrasos não são bem aceitos por aqui e, se você se atrasar, corre o risco de perder o passeio ou horário, mesmo que tenha feito a reserva antes.

12. Não conte com o domingo

Na Alemanha, as lojas são geralmente fechadas aos domingos. E quando eu digo lojas, eu digo todo tipo de loja: mercado, farmácia, loja de roupas… O que se salva são restaurantes e bares. 

Esse é um dia que deveria ser dedicado à família e ao descanso, por isso, a lei de silêncio – que normalmente vale todo dia depois das 22:00 – é ainda mais levada a sério.

De uma forma prática, você precisa conferir se as atrações que você gostaria de visitar estão abertas nesse dia e, se você está hospedado em uma casa ou apartamento, fazer compras suficientes para sobreviver ao fim de semana sem passar fome.

  

Curiosidades

Agora uns fatos curiosos sobre a vida aqui na Alemanha…

  • Catálogo de multas

Como você já deve ter percebido, na Alemanha muitas coisas funcionam na base da multa. Se você passa no sinal vermelho, multa. Está andando de bicicleta sem luz? Multa! Atravessar a rua fora da faixa… dá multa!

São tantas possibilidades e tantas regras dentro de uma única categoria de multa… que existe um site que funciona como um catálogo para todas as multas do país. Já imaginou?

Tá em alemão, mas você pode dar uma olhada aqui.

  • Não se brinca com cachorros na rua

É muito difícil ver um cachorrinho muito lindo passeando na rua, todo se abanando pra você e simplesmente ignorar, não é mesmo?

Mas esse é um talento que temos que desenvolver aos poucos por aqui. Como as leis são bem rígidas quando o assunto é animal de estimação, os donos tendem a ser bem chatinhos com qualquer um que tenta se aproximar demais. Afinal, se você estiver brincando com o cachorro e ele te morder, o dono terá muita dor de cabeça.

  • Praia FKK

Caso você esteja planejando curtir uma praia na Alemanha… fique atento às placas. FKK é a sigla para Freikörperkultur, Naturismo em português. E existem áreas destinadas ao nudismo ou até mesmo praias inteirinhas para o pessoal curtir o sol sem roupas.

Por aqui, as pessoas são muito livres com a questão de corpo. E como esse não é um país de muitas praias, o pessoal aproveita pra pegar sol nos parques das cidades. É comum ver mulheres fazendo topless nas praias e homens com sungas que você não veria muito no Brasil. E o melhor de tudo? Você pode fazer o que quiser… e ninguém vai ficar te julgando ou olhando loucamente pra você.

  • Brindar olhando nos olhos

Por aqui, é tradição brindar olhando nos olhos. Diz a lenda que quem não faz isso, acaba tendo sexo ruim pelos próximos 7 anos. E o povo não arrisca… e brinda com os olhos bem arregalados, pra garantir, né?!
Então, pegue uma cerveja gelada e PROST!

E você? Já esteve por aqui? Existe mais alguma coisa que os turistas precisam saber para viajar para a Alemanha?

Conta pra gente aqui nos comentários!

Você Também Pode Se Interessar Por:

36 Comentários
  1. Avatar

    Bom dia! gostaria de obter uma informação. Pretendo sair do Brasil e começar um trabalho na Alemanha, eu e minha filha de 4 anos. Existe essa possibilidade? Sou brasileira moro no Brasil, tenho descendência Italiana. Sou formada em Engenharia, tecnóloga em segurança do trabalho e possuo inglês intermediário. Obrigada!

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Keline! Tudo bem?

      Se você possui o passaporte italiano esse processo se torna muito mais fácil, já que você não precisa de um trabalho que “banque” o seu visto de permanência.
      Existem várias empresas aqui na Alemanha que possuem o inglês como idioma oficial e os funcionários não precisam falar alemão no dia-a-dia.
      O único ponto interessante antes de embarcar nessa aventura, seria ver se o seu diploma é reconhecido aqui – isso depende de cada universidade e curso… acho que a embaixada/ consulado poderia te dar uma ajudinha com isso…
      Além disso, ver quais as semelhanças entre a questão de segurança do trabalho no Brasil e na Alemanha… por exemplo, eu tenho um amigo formado em Engenharia Eletrônica, ele fez uma especialização em outro país aqui na Europa, mas como os sistemas e método de trabalho são completamente diferentes na área em que ele se especializou, ele não poderia ficar aqui na Alemanha, se quisesse seguir essa mesma carreira… ou teria que fazer todas as especializações novamente…

      Depois de ver isso, eu acho que existem duas possibilidades…
      1) Você começa a aplicar para vagas ainda mesmo no Brasil e nesse meio tempo vai vendo o que está faltando pra você ou o que está sendo pedido pelas empresas aqui… O processo por Skype é super comum e em alguns casos, as empresas até trazem o candidato do país de origem pra a entrevista final no escritório. Além disso, nesse meio tempo você pode investir em melhorar o seu inglês e aprender o báááásico do alemão, que querendo ou não você vai precisar na vida, ainda mais com uma criança. Dessa forma eu acho que as chances de você continuar na sua área de estudo são bem maiores!

      2) Se você tem uma boa reserva de dinheiro… pode vir com a cara e com a coragem! E chegando por aqui, você procuraria algum emprego… Seria interessante dar uma pesquisada antes pra ver a melhor região da Alemanha para a sua área de trabalho, assim, você já fica mais perto dos polos de interesse pra você. Além disso, nesse meio tempo você pode fazer algum curso de alemão por aqui, enquanto você e sua filha vão testando e experienciando a vida por aqui… Essa opção é mais vantajosa se você tiver uma boa economia, como eu mencionei antes… caso contrário, as chances de você acabar aceitando ou buscando outras oportunidades de trabalho longe da sua área são bem maiores..

      Sendo mais rápido ou um pouquinho mais demorado… morar na Alemanha é uma possibilidade bem real para vocês! O fato de você ter uma formação universitária e técnica conta muito por aqui…
      Boa sorte e qualquer dúvida… é só falar!

      Responder
  2. Avatar

    Boa tarde.
    Algumas dúvidas que eu tinha foram sanadas com esses posts. Tem uma dúvida que não quer calar é: Precisa apresentar Certificado Internacional de Vacinação e Profilixia – CIVIP? Irei ficar na casa de meus tios em Frankfurt, as despesas com alimentação eles irão arcar, a única coisa que irei arcar será com os custos de transporte público. Tem alguma ideia de quanto custa o Ticket mensal para andar no ônibus e metrô? Quero conhecer alguns lugares próximo e também irei visitar a Suiça ( sei que a moeda é Franco Suiço) rsrs…irei ficar na casa da minha prima. Estava pensando em levar em torno de 1.200,00 euros + o cartão de crédito. Liguei no Consulado Alemão e fui informada que não precisa autenticar a carta convite, mas que teria que ter o máximo de informações possíveis. Como endereço, telefone e o que eles iriam custear durante o período da minha estadia, entre outras coisas. Preciso comprar um chip para usar lá né? Posso comprar o Chip chegando lá?

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Carlina,
      Tudo bem!?

      Então, nunca precisei apresentar a carteirinha internacional de vacinação. Normalmente, eles exigem isso quando tem um surto de alguma doença, por exemplo, quando estava rolando todo aquele problema com a febre amarela, nós fizemos a vacina e viajamos com a carteirinha de vacinação… pro caso de termos algum problema na volta pra Alemanha. Mas o agente de imigração nem pediu isso no momento da entrada. Minha dica é: se você já tem, traga – só pela segurança mesmo… mas se não tem, não se preocupe por causa disso!

      Sobre o ticket de transporte, existe sim uma opção mensal, mas além disso existem tickets para dia, semana, etc… O preço é um pouquinho salgado, mas é algo que você precisa calcular o quanto vai usar. Nós, por exemplo, optamos pela bicicleta como nosso principal meio de transporte. Se essa for uma opção pra você, pode te permitir economizar uma boa grana – e ainda aproveitar a vista do trajeto. Mas claro, tudo depende de qual época do ano você vem… de quão perto seus tios moram dos lugares que você quer conhecer e quão fácil é a conexão com o transporte coletivo. De qualquer forma, dei uma pesquisada e encontrei 2 opções de tickets mensais pra Frankfurt: O ticket normal que custa 90,40€ e o ticket mensal válido somente depois das 9 da manhã, que custa 72,30€… o que se você não for ter nenhum compromisso muito cedo já é uma boa economia.
      Pra viajar dentro da própria Alemanha, existem várias opções de ticket promocionais da própria empresa de trem… a DB. Estou terminando um artigo que explica direitinho como funcionam esses tickets, qual a melhor opção pra cada viagem e tal… Fica ligadinha por aqui! 🙂

      Quanto ao dinheiro, não sei dizer se é suficiente porque não sei quanto tempo você vai passar por aqui. Mas considerando que você não vai gastar com acomodação e alimentação… acho que esse dinheiro daria pra uns 2 meses de viagem… considerando um gasto legal com passeios e atrações… e um gasto não muito alto com lembrancinhas e afins…

      Sobre o chip de celular, eu sei que existem algumas empresas que vendem o chip internacional aí mesmo no Brasil… e você consegue sair já com o chip em mãos, mas também já ouvi relatos de pessoas que tiveram vários problemas com esse tipo de serviço. De qualquer forma, acho que você consegue dar uma pesquisada pra ver o que acha de informação por aí… diria pra ver opiniões de viajantes e não só de blogueiros ou sites especializados… porque algumas vezes eles ganham comissão com o venda do chip e não saberia dizer quão neutra é a opinião deles nesse ponto.
      Se você optar por comprar o chip aqui na Alemanha mesmo, o lugar ideal pra comprar um chip pré-pago é uma das lojas de eletrônicos, como a Saturn, Mediamarket, etc… Ou até mesmo alguns supermercados têm sua própria opção de chip. O único problema é que a Suíça não está incluída no Roaming internacional de algumas operadoras… e com isso você teria que pagar extra para usar internet e telefone por lá… O que talvez seja mais vantagem com um chip internacional vendido no Brasil… mas também nao tenho certeza!

      Espero poder ter te ajudado com suas dúvidas!
      Boa viagem e aproveite muito seu período por aqui!

      Responder
  3. Avatar

    Olá Tatiana,
    Pretendo viajar para Heidelberg em junho e ficar uma semana e tenho uma dúvida quanto a questão do dinheiro a levar. Pretendo levar alguns Euros e uma cartão de débito internacional. Como faço para comprovar o valor que tenho disponível no cartão se caso for solicitado?
    Agradeço,
    Eugenio K.

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Eugenio! Tudo bem?

      Muito obrigada pelo seu comentário.
      Sobre como provar o valor disponível do cartão, se ele for conectado com a sua conta, quem sabe mostrar o saldo disponível, seja por um aplicativo ou mesmo um documento do banco…
      Como mencionei em alguns comentários aqui, o processo de imigração vai sempre depender da pessoa que está te atendendo naquele momento. Muitas vezes, é possível que eles não vão te pedir nada além da passagem de volta… mas em outras, eles podem te pedir tooooodos os mínimos detalhes.
      Acredito que com um valor em Euros em mãos e mais o cartão internacional – podendo provar o saldo disponível, mesmo que pelo app – grandes chances de você passar pela imigração sem grandes problemas.

      Boa viagem e aproveite muito Heidelberg… é uma cidade encantadora!!

      Responder
  4. Avatar

    Preciso ir ate a Alemanha. Pois é um sonho desde de muito nova!
    E também, para tentar algo fora do Brasil.
    Lá na Alemanha tenho um rapaz conhecido, no qual irá me ajudar. Porém, não tenho noção nenhuma por onde devo começar…
    Por exemplo: Não tenho Passaporte, não sei quanto gastaria nas passagens de ida e volta, não falo inglês, e enfim entre outras duvidas!
    Vocês poderiam me auxilar para que eu tenha uma base de começo ?

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Larissa! Tudo bem?

      Muito obrigada pelo seu comentário!

      Que legal saber que você sonha com essa viagem!!! Espero que você consiga torná-la realidade em breve!
      Então, o primeiro passo para fazer essa viagem sair do papel é solicitar o passaporte. O passaporte é seu documento de identificação fora do Brasil e sem ele, não tem viagem! Como o passaporte agora vale por 10 anos, você já pode iniciar o processo e assim, com o passaporte na mão, as outras coisas podem acontecer mais livremente.
      Em relação ao preço da passagem, isso vai depender muuuuuito de várias coisas, como:
      * em qual aeroporto começa a sua viagem – voos saindo de São Paulo, Rio e algumas cidades do Nordeste são bem mais baratos, já que muitas vezes não precisam fazer conexão dentro do Brasil
      * qual a cidade de destino… se for um dos grande aeroportos que recebem aviões direto do Brasil, a tendência é que os preços sejam mais amigáveis…
      * quando você pretende viajar, baixa temporada é sinônimo de passagens mais baratas
      * promoções que as companhias aéreas estão fazendo

      Mas só pra você ter uma ideia, acho que algo em torno de R$ 3.000 ou R$ 4.000 é mais comum de se encontrar!

      Quando ao fato de não falar inglês, assim como eu disse no post de dicas para viajar só falando português, prepare alguns cartões de ajuda para levar na imigração. Prepare frases como: “Desculpa, eu não falo inglês/alemão”, “Aqui estão meus documentos, se você tiver alguma dúvida, por favor, ligue para FULANO que é quem está me convidando”

      Não deixe que essas dúvidas te impeçam de realizar esse sonho!
      Boa sorte e aproveite muito!

      Responder
  5. Avatar

    Olá boa tarde, ficarei na alemanha por 3 meses através do programa de couchsurfing (uma especie de muchilao) onde pessoas da alemanha vao me deixando passar um tempo na casa delas, e ao sair, vou para outra casa, minha intencao é ir pedindo a estadia de forma gradual ao longo dos 3 meses. Por isso ainda não tenho nada de comprovante de permanencia depois dos primeiros 10 dias no país. Sera que a alfandega permitirá?

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Carolina. Tudo bem?

      Muito obrigada pelo seu comentário.
      Então, como já disse em diversos comentários aqui, essa questão da imigração é bem delicada, porque sempre vai depender do oficial que for te atender.
      Minha sugestão pessoal é a seguinte… se você já tem a confirmação da pessoa que vai te hospedar pelo couchsurfing pelos primeiros 10 dias, leve isso com você para o momento da imigração. O segundo passo, na minha opinião, seria que você tivesse reservas em hostels ou até mesmo hotéis para o restante do período (não precisa ser necessariamente os 3 meses, mas algo em torno de um mês)… por dois motivos: 1) caso o oficial de imigração pergunte, você tem como provar onde vai ficar hospedada – aqui a dica seria reservar opções com cancelamento gratuito… assim, você pode cancelar caso consiga alguém pra te hospedar… e o segundo motivo é que caso você não encontre alguém pra te hospedar, você já tem algo garantido.

      Boa viagem e aproveite muuuito a Alemanha!

      Responder
  6. Avatar

    Muito legal seu texto Tatiana….

    Vou fazer uma pergunta aqui e caso possa responder ficarei muito agradecido.
    Em 2019, eu e minha família (Esposa e meus dois filhos 8 e 4 anos), pretendemos morar por um ano na Alemanha. Minha dúvida é a seguinte: Eu e meus filhos temos passaporte alemão e brasileiro, porém não falo alemão ainda e minha esposa tem somente passaporte brasileiro. Já li que no caso de minha esposa, não será necessário solicitar visto, pois ela entrará como turista e que antes dos 90 dias, terei que fazer uma reunião familiar na Alemanha. Minha escala será em Londres antes de chegar na Alemanha, nesse caso, imigração será feita no destino final, nesse caso em Hannover, certo… Como vamos migrar para a Alemanha, eu e meus filhos como alemão e minha esposa com reunião familiar, será que será necessário apresentar passagens de volta…, acho um pouco difícil o agente de imigração entender isso…. o que vc acha dessa situação…, será que terei problemas, ou seria melhor não falar nada que vou migrar etc…, tendo em vista que sou cidadão alemão e minha esposa irá entrar como turista e somente depois a situação dela será regularizada para extender sua estadia no Pais…

    Desculpe, pela falta de pontuação, pois meu teclado está com problema em algumas teclas no momento.

    Obrigado e sucesso pra vc…

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Joe! Tudo bem?

      Que legal saber que estão planejando morar aqui na Alemanha por um tempo… você vai ver como essa experiência é incrível!

      Então, falei com uma amiga que tinha um caso bem parecido com o seu. Ela e o marido alemão casaram no Brasil e depois de um tempo decidiram vir para a Alemanha morar. Pelo que ela me contou, ela não sabia da necessidade de entrar com o pedido do visto de reunião familiar ainda no Brasil, no momento da imigração ela falou que estava vindo para morar e foi questionada sobre o visto. O oficial foi bem gente boa e disse pra ela que faria de conta que ela não tinha mencionado que estava ali para morar… e deixou ela entrar como turista.
      Mas pelo que ela contou, o problema não acabou por aí, já que na hora de dar entrada no visto aqui na Alemanha, os funcionários da Secretaria de Imigração também questionaram o fato dela não ter entrado com o visto correto. Diz que o processo foi mega chato e muito burocrático. Minha dica pra você seria se informar direitinho com o consulado alemão no Brasil, acho que eles vão poder te explicar melhor o processo… e assim evitar que você e sua esposa possam ter problemas na hora de solicitar a reunião familiar aqui na Alemanha.

      Boa viagem e muito sucesso pra família nessa nova aventura!

      Responder
  7. Avatar

    Gostaria de me casar na alemanha,o que precisa?

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Marcela! Tudo bem!?

      Muito obrigada pelo seu comentário.
      Então, em relação ao casamento na Alemanha eu não conseguiria te auxiliar muito. O Daniel e eu casamos no Brasil e validamos o nosso casamento por aqui.
      O que sei de experiência de alguns amigos é que o processo aqui na Alemanha é bem longo e complicado. Você precisa ter todos os documentos traduzidos para o alemão, dar entrada no processo – que pode demorar cerca de 3 meses. Por isso, muitas pessoas que moram aqui na Alemanha, acabam casando em países como a Dinamarca, que tem um processo muito mais fácil para casar.

      Boa sorte! E felicidades no casamento!

      Responder
  8. Avatar

    Muito obrigada pelo artigo!!!

    Responder
  9. Avatar

    Bom dia a filha da minha esposa mora na Alemanha vou para lá em maio de 2019 já estou tirando passaporte; vou ficar lá 8 dias qual é a quantidade mínima ideal de dinheiro que tenho que declarar para passar estes 8 dias lá.

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi Reibe! Tudo bem?

      Muito obrigada pelo seu comentário.
      O valor necessário para a comprovação é determinado anualmente e varia de acordo com o país. Ele é calculado “com referência aos preços médios de alojamento e de alimentação, em condições econômicas, no ou nos Estados-Membros em causa, multiplicados pelo número de dias de estada”.
      A maior parte das informações que é possível encontrar fala de 50 a 65 Euros por dia. Você não precisa ter todo esse dinheiro em mãos… pode juntar com cartão de crédito ou cartão de viagens.

      Boa viagem! E aproveite muito a Alemanha!

      Responder
  10. Avatar

    Vou passar vinte dias na Alemanha na casa da minha namorada e estou preocupado em relação à carta convite e provas de recursos financeiros. Se ela ou o pai dela (ambos alemães) fizer uma carta convite, o documento original deve ser enviado para mim no Brasil ou pode ser escaneado e posso só imprimir uma cópia?

    Quanto aos recursos financeiros, se na carta convite eles se responsabilizarem por todas as despesas durante a minha estadia, isso é suficiente? Também tenho dois cartões internacionais.

    Obrigado desde já.

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi! Tudo bem?

      Muito obrigada pelo seu comentário.
      Então, o processo ideal é que essa carta seja autenticada em cartório (aqui na Alemanha) e que você tenha documentos referentes a essa pessoa, como comprovante de endereço e holerite (muito importante no caso de você estar viajando sem nenhuma comprovação de dinheiro).
      Toda vez que passamos pela imigração é uma experiência diferente. Tem vezes que não pedem nada, mas vez ou outra eles pedem tudo. Por isso, sempre acho que a melhor maneira para evitar qualquer tipo de problema na imigração é estar o mais preparado possível.

      Mas no caso de uma carta-convite – você tendo alguns documentos básicos que comprovem que você conhece essas pessoas e que elas estão realmente dispostas a arcar com sua estadia e custos, acredito que uma carta assinada e escaneada, que você imprima e leve com você deve ser suficiente. É importante atentar para a língua da carta… se você estiver entrando diretamente pela Alemanha (se o seu voo não fizer antes uma parada na França, Portugal, Holanda, etc…), a carta em alemão seria ideal. Caso contrário, além da carta em alemão, seria bom uma outra versão dela em inglês, para garantir o entendimento pelo oficial da imigração do país pelo qual você vai entrar.

      Em relação ao dinheiro, seria bom que isso também estivesse mencionado na carta convite. Mas o fato de você possuir cartões internacionais já seria – na maioria dos casos – suficiente para essa comprovação.

      Boa viagem e aproveite muito!

      Responder
  11. Avatar

    Olá dono(a) do site. É muito importante você lembrar também, referente ao ônibus/trem, que não basta comprar o ticket e entrar no veículo, tem que validar o ticket numa maquininha antes de entrar.
    Até mais.

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi!
      É verdade! Isso é um ponto bem importante e que muitas vezes pode causar confusão. Vou atualizar o post e adicionar essa informação!
      Muito obrigada!

      Responder
  12. Avatar

    Bom dia. Coloquei na cabeça que vou viajar para a França e Alemanha. Eu estou querendo fazer uma viagem de 15 a 20 dias onde tenho conhecidos na França. Essa carta-convite que se refere e dinheiro suficiente é que estou com receio. Não sei falar inglês nem arranhado mas ao mesmo tempo que estou receioso quero muito conhecer porque é o meu sonho de consumo. O que você recomenda a mais? Tenho maior medo é de ser enganado entende? Ah vou tirar já o passaporte.

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Luciano.
      Tudo bem?
      Que legal saber que você sonha com essa viagem. Conte com a gente pra te ajudar a torná-la realidade!
      Toda vez que passamos pela imigração é uma experiência diferente. Tem vezes que não pedem nada, mas vez ou outra eles pedem tudo. Acho que a melhor maneira para evitar qualquer tipo de problema na imigração é estar o mais preparado possível.
      Se você tem amigos morando legalmente na França, peça pra eles te enviarem a carta convite – de preferência em francês ou inglês. A carta é essencial se você for ficar hospedado na casa deles. Se esse não for o caso, mostre a reserva dos hotéis e a carta convite fica como um bônus, mais como alguém pra assumir a responsabilidade por você, se preciso, sabe? Além disso, é preciso que as pessoas que te convidam enviem a cópia de algum documento oficial, pra provar que eles são eles e que estão legais no país. Pode ser a autorização de residência ou uma cópia do passaporte – se eles tiverem passaporte europeu.
      Em relação ao dinheiro, você pode apresentar cartões internacionais – de crédito ou de viagem-, além do dinheiro em papel. Caso você tenha a carta convite e essa pessoa vá te bancar na sua viagem, é importante que essa pessoa também te mande um holerite, pra provar que a pessoa tem condições de te manter por aqui.
      Não deixe que o medo te impeça de realizar esse sonho, Luciano!
      Assim como eu disse no post de dicas para viajar só falando português, prepare alguns cartões de ajuda para levar na imigração. Prepare frases como: “Desculpa, eu não falo inglês/alemão/francês”, “Aqui estão meus documentos, se você tiver alguma dúvida, por favor, ligue para FULANO que é quem está me convidando”
      Boa viagem e aproveite!

      Responder
  13. Avatar

    Bom dia Tati! Excelente post!
    Gostaria por gentileza de saber qual documento é necessário para a comprovaçao financeira, ou seja, pode ser apresentado o saldo de investimentos ou conta corrente pela tela do site do banco pelo aplicativo do celular, ou preciso ir ao banco para conseguir tal documento?

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Leo! Tudo bem?

      Então, essa parte da comprovação financeira é um pouco mais vaga e complicada. Tudo vai depender do oficial que estiver fazendo o seu processo no momento da imigração.
      Pela nossa experiência e experiência de amigos e familiares, um cartão de crédito internacional já é suficiente para comprovar grande parte.
      Mas é sempre bom ter um plano B. Nesse caso, acho que o saldo na conta corrente ajudaria. E o saldo de investimentos conta também, já que provando que você tem investimentos no Brasil, suas chances de tentar ser imigrante ilegal seriam menores…
      Mas como disse, tudo depende de cada oficial. Para alguns que basta a passagem de ida e volta, enquanto que outros pedem tudo e mais um pouco…
      Além disso, é sempre bom ter alguns Euros na mão, mesmo que seja um valor pequeno, o suficiente para comprar algumas coisas no aeroporto e pagar o transporte do aeroporto até o hotel…

      Qualquer dúvida, só falar com a gente!
      E depois conta aqui como foi o seu processo e o que precisou apresentar!
      Boa viagem!

      Responder
  14. Avatar

    Quero viajar para Wuppertal ano que vem! Tenho um casal de amigos missionários morando lá.
    Além do meu visto feito aqui no Brasil. ..cartão de crédito para comprovar a questão financeira. .. passegente compradas de ida e volta. ..E o documento dos meus amigos daí. .. prescisO de algo mais? ??

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Alanderson. Tudo bem?

      Então, o que você precisa para visitar a Alemanha é o que está listado no primeiro ponto do post. Se a sua visita é só para turismo, você não precisa emitir o visto ainda no Brasil. Basta viajar com o passaporte e os outros documentos mencionados… e a autorização de estadia será dada por um oficial de imigração aqui mesmo. É importante lembrar que o seu passaporte deve ter validade de pelo menos 3 meses após o seu retorno ao Brasil. Outro ponto que você não mencionou, é o seguro de saúde. Quem visita a Alemanha é obrigado a contratar um seguro de saúde com uma cobertura de, no mínimo, 30.000 euros. Esse valor é o que você seria assegurado em caso de uma doença ou acidente.

      Qualquer dúvida, é só falar com a gente!
      Boa viagem e aproveite muito a Alemanha quando vier fazer uma visita!

      Responder
  15. Avatar

    Oi boa tarde
    Tenho um amigo lá ele está sempre me convidando pra ir pra lá
    Quanto mais o menos tenho que leva pra fica um mês e o que preciso pra ir pra lá ?
    Passaporte e visto e a mesma coisa?

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Josy.
      Tudo bem?

      Então, o que você precisa para visitar a Alemanha é o que está listado no primeiro ponto do post. Entre os documentos necessários, você vai ver a Comprovação de Recursos Financeiros. Esse valor é determinado anualmente e varia de acordo com o país. Ele é calculado “com referência aos preços médios de alojamento e de alimentação, em condições econômicas, no ou nos Estados-Membros em causa, multiplicados pelo número de dias de estada”.
      A maior parte das informações que é possível encontrar fala de 50 a 65 Euros por dia. Você não precisa ter todo esse dinheiro em mãos… pode juntar com cartão de crédito ou cartão de viagens.

      Para visitar a Alemanha, brasileiros não precisam de visto. Isso significa que quando você desembarcar na Europa (um dos países do acordo Schengen), você precisará apresentar todos os documentos para um oficial da imigração. Caso algo esteja faltando, esse oficial é autorizado a negar a sua entrada no país. E com isso, você seria mandada de volta para o Brasil. Por isso, é muito importante garantir que você tem tudo o que foi mencionado no primeiro ponto deste post antes da viagem, assim, você pode evitar esse tipo de problema.

      A diferença entre Passaporte e Visto é a seguinte… o passaporte é o seu documento de identificação fora do Brasil, enquanto que o visto é uma autorização de visita/ estadia emitida por um país específico ou um grupo de países. Algumas vezes, é necessário pedir esse visto antes mesmo de sair do Brasil (como é o caso dos Estados Unidos), enquanto que em outros casos, essa autorização é concedida ao chegar ao país de destino.

      Qualquer dúvida, é só falar com a gente!
      Boa viagem e aproveite muito a Alemanha quando vier fazer uma visita!

      Responder
  16. Avatar

    Então para que eu possa viaja para Alemanha eu tenho que comprova que tenho dinheiro. ? e se eu tive alguém que se responsabilizara por mim ? ou seja que vai meda tudo que preciso ? e que mora na Alemanha.

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Olá, Gilvan,
      Tudo bem?

      Muito obrigada pelo seu comentário.
      Então, se você estiver vindo para a Alemanha a convite de alguém, é necessário que essa pessoa faça uma carta-convite. O processo ideal é que essa carta seja autenticada em cartório (aqui na Alemanha) e que você tenha documentos referentes a essa pessoa, como comprovante de endereço, visto – no caso da pessoa não ser alemã – e holerite (muito importante no caso de você estar viajando sem nenhuma comprovação de dinheiro).

      Boa viagem e aproveite muito!

      Responder
  17. Avatar

    Gostaria muito de conhecer a Alemanha. Tenho uma prima que mora na Alemanha. Tô a procurá de uma boa alma de bom coração. Que possam pagar minha passagem. Kkkkkkk

    Responder
  18. Avatar

    Avise do botão na porta do metrô! Eu fiquei esperando o trem abrir a porta lá e ele foi embora. –‘
    Depois tive que esperar o mesmo trem passar, depois de outros para outros destinos. E pra sair também, quase passo a estação por esperar a porta abrir pensando na vida.

    Responder
    • Daniel Courtouke

      É verdade, Thiago! Com a mãe da Tati até aconteceu de perder um trem por lá porque o botão travou. Boa dica!

      Responder
  19. Avatar

    Que post maravilhoso. Pretendo viajar para Berlim ao fim do ano e queria saber se preciso de documentações muito rigorosas e pelo visto não precisa.
    Só tenho uma duvida em questão de comprovar que tenho recursos financeiros para minha estadia. Pretendo ficar duas semanas e quanto seria o minimo que eu teria que levar para poder entrar?

    Responder
    • Tatiana Olegario

      Oi, Allan.
      Tudo bem?

      Esse valor é determinado anualmente e varia de acordo com o país. Ele é calculado “com referência aos preços médios de alojamento e de alimentação, em condições econômicas, no ou nos Estados-Membros em causa, multiplicados pelo número de dias de estada”.
      A maior parte das informações que é possível encontrar fala de 50 a 65 Euros por dia. Você não precisa ter todo esse dinheiro em mãos… pode juntar com cartão de crédito ou cartão de viagens.

      Aproveite muito Berlim… é uma cidade maravilhosa!

      Responder
Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.